AS 5 LINGUAGENS DO AMOR

AS 5 LINGUAGENS DO AMOR

De acordo com um estudo desenvolvido por Gary Chapman, e usado há já vários anos em terapia de casal, existem 5 formas de expressar amor que ele designou como “As 5 Linguagens do Amor”.

 

as 5 linguagens do amor

De acordo com este estudo, cada pessoa expressa-se naturalmente, utilizando  uma linguagem de amor que foi a que aprendeu, a que conhece, ou a que desenvolveu. Quando o parceiro utiliza a mesma linguagem ou a entende, a comunicação flui naturalmente.

Mas nem sempre é assim…

De acordo com o Dr. Chapman, e depois de décadas a analisar e a aconselhar casais, existem cinco linguagens universais.

Todos nós, em geral, utilizamos essas 5 linguagens para expressar e interpretar o amor. No entanto, cada pessoa tem a sua linguagem preferencial.

Normalmente há uma linguagem principal e uma secundária e, pessoas com linguagens diferentes, ou seja, com formas de comunicar o amor diferentes, terão mais dificuldade em sentir-se  amadas durante uma relação.

Por isso, é importante identificarmos a nossa linguagem e, mais importante ainda, compreender a linguagem do nosso parceiro/a para que, quando ele/a nos expressa o seu amor, mas na sua linguagem, isso possa ser por nós entendido.

Esta questão é tão importante em termos de comunicação numa casal que o Dr Chapman compara a linguagem do amor a um idioma. Quando comunicamos em idiomas diferentes e um não entende o idioma do outro, a comunicação torna-se muito difícil.

Vamos, por isso, desconstruir, uma a uma, as 5 linguagens do amor.

1. Palavras de afirmação

Esta é a linguagem de quem valoriza as palavras como forma de expressar o amor. Para estas pessoas, ouvir  “Amo-te”, “Estás tão elegante”, entre outros elogios em forma de palavras, é garantia de mensagem de amor recebida!  

As palavras têm um significado muito grande para estas pessoas e aquilo que é dito deixa uma marca muito importante. 

A questão é que as palavras menos boas têm igual impacto e, por isso é necessário ter cuidado com aquilo que dizemos a alguém com esta linguagem preferencial: o peso das palavras não é esquecida e deixa marcas difíceis de esquecer. Tanto tanto para o bom como para o mau.

2. Tempo de qualidade

Há pessoas que valorizam a presença e a atenção do outro, mais do que qualquer outra coisa. O que fazemos quando estamos juntos? Como estamos? Qual a qualidade da atenção e qual a disponibilidade que oferecemos um ao outro? Este é o foco da atenção das pessoas que manifestam o seu amor estando com o outro. E, naturalmente, tendem interpretar a falta de atenção, a ausência por longos períodos ou a distração com outras coisas ou pessoas (quando estão juntos), como uma manifestação de falta de amor. Para elas, o amor expressa-se pela total disponibilidade quando estão juntos. “Eu estou contigo e tu estás comigo: de corpo e alma. Isso é amor.” 

3. Receber presentes

Aquilo que estas pessoas mais valorizam, e que as faz sentirem-se mais amadas, é receber presentes – um ramo de flores, um doce, uma surpresa, algo que não estava à espera… Uma surpresa! Isto não significa que esta pessoa é materialista, até porque ter esta linguagem do amor como linguagem principal, não significa que sejam presentes de grande valor económico. Significa, isso sim, que ao receber algo tangível, a pessoa entende que a outra pensou nela, que se esforçou por escolher algo que iria gostar e que o amor está nesse momento do dia que alguém lhe dedicou ao pensar em si e no que lhe agrada. Receber, e mesmo dar presentes faz estas pessoas sentirem-se apreciadas e atribuir a estes atos o significado de amor.

4. Atos de serviço

Para estas pessoas, amar é agir. Para elas, o amor expressa-se através de fazer, preparar, cuidar, assegurar, trabalhar, esforçar-se ou realizar as tarefas que são essenciais ao bem estar comum.  

As pessoas que têm esta linguagem como preferencial, dão muito de si e desejam que o seu parceiro entenda, sem ter que lhe pedir, que é importante participar nas tarefas do dia-a-dia, tão prosaicas como lavar a loiça, levantar o prato da mesa, não deixar a roupa espalhada, dar banho aos filhos na escola, etc., etc,. etc.… 

Estas pessoas não lidam particularmente bem com quem não cumpre com o que promete fazer. Valorizam bastante os favores que outros lhes fazem e demonstram afeto devolvendo esse “fazer” à outra pessoa.

5. Toque físico

Para estas pessoas, nada é mais importante do que o toque físico. 

Não se trata do toque físico apenas no sentido sexual… mas também!  

As pessoas que têm esta linguagem como a principal dão uma enorme importância ao toque físico diário e regular: um abraço, uma festa na cabeça, um beijo, dar as mãos ou qualquer outro tipo de conexão física é entendida como manifestação de amor. 

O toque faz estas pessoas sentirem-se amadas e a falta do toque físico é entendida como falta de amor.

Close Menu