OS 4 MITOS MAIS COMUNS SOBRE CASAMENTO

OS 4 MITOS MAIS COMUNS SOBRE CASAMENTO

Construir e manter um casamento ou uma relação a dois é um propósito muito desafiante. Por isso não admira que, à volta deste assunto, tenham crescido tantos mitos. Saiba aqui quais são os mais comuns e evite que eles interfiram na vossa relação.

4 mitos sobre casamento

Reconhecer os mitos que cresceram em torno do casamento e da vida a dois em geral é o primeiro passo para impedir que eles destruam a sua relação.

Além disso, identificar estes mitos pode ajudar a evitar que o casal siga um caminho errado e sobretudo que considere, à partida, que o seu casamento é um caso perdido.

Eis os 4 mitos mais comuns:

Os interesses comuns mantêm-nos juntos

Bem… Depende da forma como interagimos quando exploramos esses interesses. 

Pense, por exemplo, num casal que partilha a paixão pela canoagem. Este casal pode aproveitar o prazer de estar a deslizar rio abaixo para conversar, rir, divertir-se e unir esforços como uma equipa, para chegar a bom porto.  Na verdade esta experiência partilhada enriquece e aprofunda o amor e a conexão entre os dois. 

Já um outro casal que, partilhando a mesma paixão pela canoagem, falha completamente no respeito mútuo e na capacidade de partilhar intensamente esta experiência, pode transformar este momento num episódio de stress invadindo a tarde de acusações, amuos e críticas do género “isso é idiota”, “não é assim que se rema” e muitas outras que tornam a experiência infindável.

Evitar o confronto vai dar cabo do casamento

Depende… Uma divergência de ideias, de opiniões ou em relação a decisões, não tem que ter a força e a carga de um conflito aberto. 

Um conflito tem vários níveis e é preciso aprender a discutir sem deixar que o conflito suba excessivamente de “tom”. 

Por vezes, pode ser desejável, e até sinal de uma grande inteligência emocional, travar a escalada do conflito e permitir que o assunto durma e se possa voltar a ele mais tarde. Não se trata de evitar o confronto, mas sim de saber parar e voltar ao assunto num momento em que o cansaço, a tensão e a intransigência deram tréguas e os canais se encontram mais desobstruídos.

Homens e Mulheres são de planetas diferentes

Não faltam no mercado best-sellers afirmando que os homens são de “Marte” e as mulheres são de “Vénus”.

Acontece que casamentos de sucesso incluem os respetivos “extra-terrestres”.

As diferenças de género, que naturalmente existem, podem contribuir para problemas no casal mas, obviamente, não são a sua causa.

De acordo com um estudo levado a efeito por John F. Helliwell na University of British Columbia, Vancouver, o fator determinante para que as mulheres se sintam felizes numa relação reside, em 70% dos casos, na amizade que estabelece com o companheiro. O fator determinante para os homens se sentirem mais felizes numa relação reside, em 70% dos casos, na amizade que estabelece com a companheira.

A amizade numa relação é, em 70% dos casos, em ambos os géneros, um fator potenciador do romance, do sexo, da resiliência e do compromisso. 

O que faz um casamento funcionar ou não, não são as diferenças de género mas sim o facto de duas pessoas simplesmente funcionarem, ou não. 

 

 As aventuras extraconjugais são a principal causa de divórcio

Na maioria dos casos os problemas que conduzem o casal na direção do divórcio, são os problemas que levam a que um, ou ambos, comece a procurar uma relação mais íntima fora do casamento.

A maioria dos terapeutas de casal que estudam o tema das aventuras extra conjugais considera que, normalmente, não é apenas o sexo que está na base desses encontros, mas sim a busca de amizade, compreensão, carinho, afeto, respeito e atenção.

São o afastamento e a falta de intimidade que derrubam os pilares de uma relação. Somente 20 a 27% dos casais afirmam que uma aventura extraconjugal foi a verdadeira causa do seu divórcio.

 

Deixe uma resposta

Close Menu